Lenda das Obras de Santa Engrácia

santa-engracia2
Simão Pires era um cristão que cavalgava todos os dias. Ia sempre até ao Convento de Santa Clara,
com o intuito de se encontrar com Violante. Tinha sido feita noviça por imposição do seu pai. Até que
um dia Simão pediu á sua amada que fugisse com ele. Ela ficou indecisa e ele deu lhe um dia para
ela decidir. Foi embora e na manha seguinte, foi acordado pelos homens do rei.

Acusaram-no do roubo de algumas relíquias da Igreja de Santa Engrácia. Para não prejudicar Violante, nunca chegou a revelar a verdadeira razão pela qual fora visto no local. Ele foi a tribunal e foi
condenado á morte na fogueira , apesar de afirmar que era inocente, perto da nova igreja de Santa Engrácia.

Quando as labaredas começaram a consumir o seu corpo, ele gritou bem alto dizendo ” Que era tão certo morrer inocente como as obras nunca mais acabarem” . Passaram vários anos, e um dia mais tarde, Violante, que já era freira, foi chamada para assistir aos últimos suspiros de vida de um assaltante, que tinha pedido concretamente a sua presença. Confessou ser o verdadeiro ladrão das relíquias, e como
sabia da relação secreta deles, decidiu incriminar Simão Pires. Violante deu lhe o seu perdão.

Como que por magia, as obras que tinham começado depois da execução de Simão Pires, pareciam nunca mais ter fim… Devido a isso o povo habituou-se a dizer por causa de esse facto, as obras nunca tinham fim.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s