Anel do Pescador ou Anulus Piscatoris

Anel-Pescador

O Anel do Pescador, também conhecido em latim como Anulus Piscatoris e como Anello Pescatorio em Italiano, é um símbolo oficial do Papa, o sucessor de São Pedro.

Porque tem este nome?

Tem este nome porque São Pedro era pescador e foi dado este nome ao anel em sua homenagem, até aos dias de hoje.

O anel de ouro apresenta um baixo-relevo de Pedro pescando num barco, este símbolo deriva da tradição que os apóstolos eram “Pescadores de Homens”.  Até aos dias de hoje, foi demonstração de respeito ao Papa ajoelhar-se e beijar o Anel do Pescador, tradição que continua até a actualidade.

Uso do Anel do Pescador

O Anel do Pescador era usado como um sinete até ao ano de 1842 para selar documentos oficiais assinados pelo Papa. Após uma morte papal, o anel é cerimoniosamente esmagado na presença de outros cardeais pelo Camerlengo, para evitar documentos falsos durante a Sede Vacante. O novo anel é fundido a partir do ouro do último anel do último Papa. Ao redor da imagem está escrito em alto relevo o nome do respectivo Papa em Latim. Durante a cerimónia da Tomada Papal, o  Decano do Colégio dos Cardeais coloca o anel no quarto dedo da mão direita do novo Papa.

História do Anel do Pescador

O primeiro registo do uso do anel do Pescador, foi pelo Papa Clemente IV, que utilizou-o como um selo na carta para o seu sobrinho Pedro Grossi em 1256, que foi usado para fechar toda a correspondência privada, pressionando o anel no lacre de cera vermelha derretida num envelope. Os documentos públicos, pelo contrário, são selados pelo Brasão Papal. Esses documentos foram historicamente chamado “Bulas Papais”, carimbadas com chumbo.

A utilização do Anel do Pescador foi alterada durante o século XV, quando foi usada para selar documentos oficiais. Em 1842 proibiram essa práctica, quando a cera para a impressão do anel foi substituída por um carimbo com tinta vermelha.